23 dezembro 2007

Cinema de emigração



Um programa de arromba, no S. Jorge, de 5 a 8 de Janeiro, a começar com O Salto (1967) de Christian de Chalonge e a acabar com Mudar de Vida (1966) de Paulo Rocha.

Aqui fica a apresentação do primeiro (do folheto do ciclo):

O Salto
De Christian de Chalonge
Ficção, França, 1967, 88’

Com Marco Pico, Antonio Passalia, Ludmila Mikael, Henrique de Sousa e António Assunção.
(versão original em português e francês, sem legendas)

«António é um marceneiro português que, para fugir à guerra colonial e à pobreza, decide emigrar para França, respondendo ao desafio de um amigo. À dureza da travessia da fronteira, somam-se as dificuldades em Paris. Sem documentos, sem trabalho e sem falar francês, António deambula pela cidade em busca de Carlos, o amigo que lhe prometera ajuda. Neste seu percurso solitário, a esperança e o optimismo vão dando lugar à desilusão, sentimento partilhado por muitos portugueses com quem se vai cruzando.

Filme emblemático sobre a emigração portuguesa clandestina, O Salto está imbuído de uma forte carga política e ideológica, fruto do ambiente efervescente vivido em França na época. O crescente fluxo migratório, as condições em que partiam os emigrantes – a pé e em camionetas de carga – e a forma como eram recebidos em França são questões retratadas de forma crua e realista. Com esta primeira obra o francês Christian de Chalonge viria a arrecadar, em 1968, o prestigiado Prémio Jean Vigo.»

1 comentário:

JPN disse...

vejo que há muito tempo que aqui não escreves. fico à espera.:)